Contratar um arquiteto traz economia para a obra

Conhece aquela turma que, na intenção de economizar com uma reforma em casa, decide pelo “faça você mesmo”? Funciona, muitas vezes, quando isso se resume a pintar uma parede, recuperar um pequeno móvel ou pendurar quadros nas paredes. Quando se trata de uma obra um pouco maior, no entanto, consultar e contratar um arquiteto é o melhor investimento.

O problema é que, para muita gente, isso parece um sinônimo de gastos gigantescos. Mas não é: mesmo com o custo do projeto e da execução, procurar um profissional da área ainda economiza dinheiro – e traz maior eficiência para o trabalho.
“A contratação de um arquiteto gera, em média, uma economia de 30% no valor total da obra porque evita erros de execução, retrabalho e desperdício de material”, explica a arquiteta Eliane Ventura, de São Paulo.

Especialista em projetos de interiores, ela diz que é muito comum, ao dispensar o arquiteto e trabalhar apenas com um mestre de obras, que a reforma tenha que sofrer novos ajustes ou que sobre uma quantidade imensa de pisos, azulejos ou itens básicos como cimento e areia.

“Mesmo se tratando de um pedreiro de confiança, indicado por conhecidos, ele pode não gerenciar a obra corretamente”, diz Eliane. “Já o arquiteto é ‘programado’ para contabilizar tudo antecipadamente – discutir, com o projeto em mãos, cada detalhe do que será feito, ter uma medida mais precisa dos gastos e prever melhor o tempo que vai durar a obra”, completa.
O grande diferencial ao contratar um arquiteto é mesmo o conhecimento técnico – mesmo no que parece apenas decorativo. Por exemplo: ao escolher o revestimento de um banheiro, o profissional pode selecionar, entre as centenas de opções disponíveis no mercado, aquela que vai atender melhor ao cliente.

“O material de acabamento tem sua parte funcional: pode haver um modelo de piso mais bonito, mas muito escorregadio ou que dificulta a limpeza ou ainda que não tem boa durabilidade”, diz Eliane.

Ainda nesse mesmo banheiro, o arquiteto é capaz de fazer todo um cálculo para trabalhar com a questão hidráulica, a localização de canos e ralos, os dutos de ventilação e situações do tipo.

A economia de 30% no valor total ao contratar um profissional do ramo foi observada em estudos da construção civil que verificaram obras gerenciadas por arquitetos e por leigos. A escolha e compra errada de material e em quantidade maior ou menor que o necessário foi um fator muito percebido.

“Além disso, o arquiteto tem conhecimentos também sobre as lojas e os preços praticados, pode indicar os fornecedores mais adequados dentro de uma gama maior de comerciantes e é capaz de selecionar produtos para cada cliente especificamente”, lembra Eliane Ventura.

Gastar “X” em determinado produto para a obra pode ser melhor do que gastar “2 X”. Mas a primeira escolha pode durar um ano e se mostrar um erro, enquanto a segunda duraria dez anos sem precisar de renovação. É aí que o dinheiro colocado em um projeto arquitetônico vai se mostrar um investimento perfeito.